Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Mudar aqui, ou se mudar daqui?

Há quem pense em se mudar para um lugar melhor.  Eu penso em como mudar aqui para melhor.

Para aproveitar melhor: Faixa de ônibus para as motos.

Via twitter, enviei uma mensagem a CET sugerindo que libere as faixas de ônibus para as motos.
Isso por alguns motivos: As motos usam os corredores entre os carros, espremendo os carros de um lado enquanto os ônibus espremem de outro; Existe um intervalo de ônibus em que as faixas ficam ociosas; tirando as motos dos "corredores" diminue-se o número de colisões carro-moto que aumentam os congestionamentos; enquanto as faixas estão vazias, são usadas por espertinhos e a CET não tem capacidade de fiscalizar todas o tempo todo; e por aí vai.


Riscos para as motos? Avalio que menores do que nos "corredores". Elas são mais rápidas que os ônibus então não atrapalharam os ônibus; ao ultrapassar um ônibus, mudam de faixa - muito melhor do que o "corredor", então acredito que não trariam impacto e além disso, diminuindo a ociosidade da faixa, evita-se os espertinhos.

A resposta que recebi da CET foi que "as faixas são exclusivas dos ônibus". São mesmo?
Al…

É tudo mentira, é tudo verdade?

Existe um fenômeno - se é que se pode chamar assim - que pode ser percebido por aí, que é o ato de se desacreditar nas coisas "oficiais".
Nada mais é real. Jornais, revistas, Tevês, diz-se que tudo é comprado e manipulado. Tudo faz parte de um grande esquema mundial.
Para as pessoas que pregam isso a verdade está - pasmem - em um grupo anônimo, em uma postagem de Facebook.
Até entendo a desconfiança de que valores e ideologias pessoais podem estar fazendo a tinta ficar mais carregada, mas até hoje a maioria dos que bravateiam manipulação, nunca tiveram argumento para negar que a matéria tenha sido verdade.
Eu fico realmente irritado com esse movimento "mate o mensageiro" que encobre a verdade fingindo arruinar a mentira e caminha ao lado de culpar os subjetivos "sistema", "mídia" e até o tal do "povo burro" isso terceiriza a nossa responsabilidade.
A culpa não é dos outros, é nossa.

O esperneio do momento ainda permanece sendo o julga…