Pular para o conteúdo principal

Confortavelmente Entorpecido.

Música. Frequentemente é a expressão do ser humano e normalmente serve de voz para quem não consegue falar. Eu que muito falo, nesse momento não estou mudo, por isso encontrei 2 músicas para falar por mim. Da primeira trago apenas a tradução, da segunda eu mexi e remoldei ... tentei dar um pouco do meu sentimento para essa música que é absurda.

Angústia
(Sorrow - Pink Floyd)


O doce cheiro de uma enorme angústia paira-se na terra
Plumas de fumaça ascendem e fundem-se em um céu plúmbeo
Um homem encontra-se em sonhos de campos e rios verdes
Mas acorda em uma manhã sem razão para despertar
Ele é assombrado pela memória de um paraíso perdido
Em sua juventude ou um sonho, ele não pode ser preciso
Ele está acorrentado eternamente a um mundo que se parte
Não é o bastante, não é o bastante
Seu sangue congelado e coalhado assustado
Seus joelhos tremem e oferecem o caminho na noite
Suas mãos enfraqueceram-se na hora da verdade
Seus passos vacilaram
Um mundo, uma alma
Tempos passam, rios correm
E ele fala ao rio de amores e dedicações perdidas
E o silêncio responde a estes convites rodopiantes.
Obscuro fluxo perturbado a um mar oleoso
Severa intimação de o que é ser.
Há um incessável vento que sopra esta noite
E há poeira em meus olhos, que cega minha vista
E o silêncio que fala tanto mais ruidosamente que palavras
de promessas quebradas
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Confortavelmente entorpecido
(Comfortably Numb - Pink Floyd)


A rua estava escura e a casa apagada quando ele chegou à porta.
--Olá? há alguém aí? acene se você puder me ouvir - perguntou ele, com a voz baixa e rouca, metade do corpo passando pela porta.
--Há alguém em casa? Vamos! ouvi dizer que você está mal ... - perguntou outra vez, tateando a sala escura e fria - Bom, eu posso diminuir sua dor. Te deixar bem outra vez.
--Relaxe! Eu preciso de algumas informações ... primeiro. Apenas coisas básicas. Você pode me mostrar onde dói? - ele perguntou entrando no quarto. Não conseguia enxergar muito e ouvia apenas uma respiração ofegante.
--Não há dor - disse uma voz ao seu lado -você está desaparecendo. A fumaça distante, de um navio no horizonte. Você está vindo através das ondas.
--Seus lábios se mexem, mas eu não consigo ouvir o que você diz.
Continuando, ela disse firme e sorrindo por entre a dor:
--Quando eu era criança eu tive uma febre, minhas mãos pareciam dois balões - sorriu suavemente. E agora eu tenho essa sensação novamente. Eu não consigo explicar, você não entenderia.
Ele se sentou ao lado dela no chão frio e úmido.
--Não é assim que eu sou. Ahhhhhh - ela grunhiu - ... eu fiquei confortavelmente entorpecido.
--Tudo bem, será apenas uma picada - a voz pesada e rouca se virou e se aproximou dela - não haverá mais ...
--Aaaaaahhhhh! ela gritou numa voz aguda.
--Você pode sentir um mal estar. Consegue se levantar? - Segurou a mão dela e a puxou para cima - eu acredito que esteja funcionando. Bom...
--Isso manterá você em cena. Vamos, é hora de partir! - ele continuou.


Aquelas palavras ainda martelavam na cabeça dele:

(Não há dor, você está desaparecendo, A fumaça distante, de um navio no horizonte. Você está vindo pelas ondas. Seus lábios se mexem, mas eu não consigo ouvir o que você diz).

--Quando eu era criança eu tive uma visão fugaz, além do meu canto de olho - Ela repetiu, embriagada em seu sofrimento.

--Eu me virei para olhar, mas já tinha partido. Eu não consigo tocá-la agora ... a criança cresceu e o sonho se foi. Eu fiquei confortavelmente entorpecido.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha

Na semana passada, um conflito entre polícia e moradores da favela Paraisópolis em São Paulo, virou notícia. Segundo os jornais "a morte do traficante e ladrão Marcos Purcino, de 25 anos, durante uma troca de tiros com policiais militares no domingo à tarde, desencadeou a revolta de moradores da favela. Segundo o chefe do Comando de Policiamento de Área Metropolitano-5 (CPA/M-5), coronel Danilo Antão Fernandes, o protesto foi causado pela morte de Purcino, um foragido da Justiça com duas condenações por roubo".

Isso só me faz lembrar da citação atribuída a Victor Hugo "Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha"

ou a citação completa:

A compaixão nem sempre é uma virtude. Quem poupa a vida do lobo, condena a morte as ovelhas. (Victor Hugo)


por: Conrado Tramontini

Panis et circensis

Eu fico assombrado com o poder da mídia e a sinergia de pensamentos motivados por acontecimentos. Dia desses estava pensando em um texto justamente sobre o poder de influência da mídia sobre as atitudes e o comportamento na sociedade e sobre o papel que ela desempenha no que é conhecido sobre "política do pão e circo" muito em voga no Brasil atualmente - inclusive hoje enviei um e-mail com esse enfoque para a revista Veja, mas isso não vem ao caso. Enfim, o que observo é que as novelas, os filmes, os shows, as micaretas, as "baladenhas", o futebol, tudo isso nos aliena dos demais fatos em nossa sociedade. Ficamos tão entretidos com nossa diversão (aqui talvez exista um pleonasmo) que somos desviados do que acontece no resto do mundo - por resto do mundo, me refiro a 100 metros de onde estamos - e isso cria um lugar ideal para a proliferação de fungos, bactérias e pessoas desonestas, a base para a permissividade toma conta do país.
Não vejo isso com…

Meu pedido de noivado.

Não há melhor forma de manter uma memória que a escrever, e não recordação mais precisa, porém efémero, que nossa memória. Recordo-me de sentir a expectativa pela abertura das cortinas que se assomava dentro do teatro e pela qual eu já estava acostumado. Eu estava ansioso por outra coisa repetidamente colocava a mão em meu bolso para sentir o canto do metal em meus dedos e então voltava para ajustar a câmera fotográfica. Eu ainda tinha dúvidas se deveria realmente fazê-lo da forma que eu estava premeditando. Até aquele momento ninguém sabia, somente eu. Chequei os bolsos mais algumas vezes. A decisão de agir já estava tomada havia algum tempo. Sim, eu iria pedi-lâ em casamento, mas quando, como e onde foram respostas que vieram depois, com algumas sugestões sutis. Acho que uma primeira sugestão foi quando estava assistindo, descompromissado, um reprise de Friends e o Ross e a Rachel invetam uma história sobre um pedido de noivado e depois ele conta como teria feito o pedido e ele descre…