Pular para o conteúdo principal

Первые Свидания

Abaixo, segue em Português e Russo, um poema que a Gi envivou no seu convite de despedida.
"Ele fala de vários encontros, sendo sempre um primeiro encontro" foi mais ou menos o que ela disse. Enfim, é bem isso, o poema fala de desfrutar os momentos enquanto o destino nos segue ... com sua navalha ...

Primeiros Encontros

Arsenii Tarkovskii - 1962


Cada momento de nossos encontros

Nós festejávamos como uma epifania,

Sós no mundo inteiro. Tu eras

Audaciosa e mais ligeira que a asa de um pássaro,

Pela escada, como uma vertigem, corrias saltando degraus, e,

Através de lilás úmido me conduzias aos teus domínios

Daquele lado do espelho.

Quando vinha a noite, a graça me era concedida,

Os portais do altar abertos,

E na escuridão que caía lentamente,

Brilhava a nudez,

E, ao despertar: "sê abençoada!" -

Dizia eu e sabia que ousada

Era minha bênção: tu dormias,

E a tocar tuas pálpebras com um universo de azul,

Estendia-se o lilás da mesa,

E as pálpebras tocadas de azul

Serenas estavam, e a mão quente.

E no cristal pulsavam rios,

Montanhas se envolviam de neblina, mares lampejavam,

E tu mantinhas a esfera de cristal na palma da mão,

e dormias no trono,

E - Deus do céu! - tu eras minha.

Tu acordavas e transfiguravas

O dicionário humano cotidiano,

E a linguagem transbordava de força sonora eloqüente,

E a palavra "tu" revelou seu novo sentido e significado: "tzar".

À luz tudo se transfigurava, até

As coisas simples: bacia, cântaro, - quando

Se fazia presente entre nós, como em vigília,

A água laminar e rígida.

Éramos conduzidos ao desconhecido.

Diante de nós, distanciavam-se, como miragens,

Cidades construídas por milagre,

Hortelã jazia sob nossos pés,

E pássaros estavam conosco pelo caminho,

E peixes nadavam rio acima,

E o céu se desvendava diante de nós...

Enquanto isso, o destino em nosso encalço seguia,

Como um louco de navalha na mão.

Первые Свидания

Арсений Тарковский - 1962


Свиданий наших каждое мгновенье,

Мы праздновали, как богоявленье,

Одни на целом свете. Ты была

Смелей и легче птичьего крыла,

По лестнице, как головокруженье,

Через ступень сбегала и вела

Сквозь влажную сирень в свои владенья

С той стороны зеркального стекла.

Когда настала ночь, была мне милость

Дарована, алтарные врата

Отворены, и в темноте светилась

И медленно клонилась нагота,

И, просыпаясь: "Будь благословенна!" -

Я говорил и знал, что дерзновенно

Мое благословенье: ты спала,

И тронуть веки синевой вселенной

К тебе сирень тянулась со стола,

И синевою тронутые веки

Спокойны были, и рука тепла.

А в хрустале пульсировали реки,

Дымились горы, брезжили моря,

И ты держала сферу на ладони

Хрустальную, и ты спала на троне,

И - Боже правый! - ты была моя.

Ты пробудилась и преобразила

Вседневный человеческий словарь,

И речь по горло полнозвучной силой

Наполнилась, и слово ты раскрыло

Свой новый смысл и означало: царь.

На свете все преобразилось, даже

Простые вещи - таз, кувшин, - когда

Стояла между нами, как на страже,

Слоистая и твердая вода.

Нас повело неведомо куда.

Пред нами расступались, как миражи,

Построенные чудом города,

Сама ложилась мята нам под ноги,

И птицам с нами было по дороге,

И рыбы поднимались по реке,

И небо развернулось перед нами...

Когда судьба по следу шла за нами,

Как сумасшедший с бритвою в руке.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha

Na semana passada, um conflito entre polícia e moradores da favela Paraisópolis em São Paulo, virou notícia. Segundo os jornais "a morte do traficante e ladrão Marcos Purcino, de 25 anos, durante uma troca de tiros com policiais militares no domingo à tarde, desencadeou a revolta de moradores da favela. Segundo o chefe do Comando de Policiamento de Área Metropolitano-5 (CPA/M-5), coronel Danilo Antão Fernandes, o protesto foi causado pela morte de Purcino, um foragido da Justiça com duas condenações por roubo".

Isso só me faz lembrar da citação atribuída a Victor Hugo "Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha"

ou a citação completa:

A compaixão nem sempre é uma virtude. Quem poupa a vida do lobo, condena a morte as ovelhas. (Victor Hugo)


por: Conrado Tramontini

Apreciando um bom café.

Sou um grande apreciador de café, por muitos motivos, o sabor sem dúvida é um deles, mas existem outros motivos - alguns bem óbvios - e eu gostaria de examiná-los aqui.

O mais involuntário de todos é que nasci na cidade de Garça, grande produtora de café da melhor qualidade. Claro que esse "vínculo" não se manifestou de imediato no momento do parto, não havia uma mamadeira com cafezinho fresquinho passado na hora.

Se bem que, se pensarmos, pode ter sido transmitido pelo leite materno e aí vem o segundo motivo: Minha mãe é uma grande admiradora de um café com leite, sempre presente no café da manhã e no da tarde. É um hábito quase que religioso.

Nasci em Garça, mas minha família se mudou de lá quando eu tinha 1 ano e sempre viajamos para lá para visitar meus avós e tios e nessas visitas um assunto sempre era presente: O café.

Meu avô materno tinha uma oficina e uma loja de ferragens, a "Instaladora Nosso Lar", cujo clientes em sua maioria eram fazendeiros principal…

Panis et circensis

Eu fico assombrado com o poder da mídia e a sinergia de pensamentos motivados por acontecimentos. Dia desses estava pensando em um texto justamente sobre o poder de influência da mídia sobre as atitudes e o comportamento na sociedade e sobre o papel que ela desempenha no que é conhecido sobre "política do pão e circo" muito em voga no Brasil atualmente - inclusive hoje enviei um e-mail com esse enfoque para a revista Veja, mas isso não vem ao caso. Enfim, o que observo é que as novelas, os filmes, os shows, as micaretas, as "baladenhas", o futebol, tudo isso nos aliena dos demais fatos em nossa sociedade. Ficamos tão entretidos com nossa diversão (aqui talvez exista um pleonasmo) que somos desviados do que acontece no resto do mundo - por resto do mundo, me refiro a 100 metros de onde estamos - e isso cria um lugar ideal para a proliferação de fungos, bactérias e pessoas desonestas, a base para a permissividade toma conta do país.
Não vejo isso com…