4 de dezembro de 2013

É tudo mentira, é tudo verdade?

Existe um fenômeno - se é que se pode chamar assim - que pode ser percebido por aí, que é o ato de se desacreditar nas coisas "oficiais".
Nada mais é real. Jornais, revistas, Tevês, diz-se que tudo é comprado e manipulado. Tudo faz parte de um grande esquema mundial.
Para as pessoas que pregam isso a verdade está - pasmem - em um grupo anônimo, em uma postagem de Facebook.
Até entendo a desconfiança de que valores e ideologias pessoais podem estar fazendo a tinta ficar mais carregada, mas até hoje a maioria dos que bravateiam manipulação, nunca tiveram argumento para negar que a matéria tenha sido verdade.
Eu fico realmente irritado com esse movimento "mate o mensageiro" que encobre a verdade fingindo arruinar a mentira e caminha ao lado de culpar os subjetivos "sistema", "mídia" e até o tal do "povo burro" isso terceiriza a nossa responsabilidade.
A culpa não é dos outros, é nossa.

O esperneio do momento ainda permanece sendo o julgamento do Mensalão.

Dizem que Joaquim Barbosa fez um espetáculo. Que ele manipulo.
Ele? Ao que acompanhei, todos foram acusados, defendidos, codenados, embargados, revistos e por fim tiveram suas sentenças definidas por um colegiado, por 12 ministros, juízes do Supremo Tribunal Federal, e não apenas por Joaquim Barbosa, que se absteve do direito de impor sua vontade.

Outra coisa é que dizem que tudo foi feito pela mídia, pela burguesia.
Então todo mundo mentiu, acusação, juízes, jornal, rádio e Tevê. Todos mentiram, menos os coitados que foram julgados culpados pelo tal colegiado? Só eles dizem a verdade. Inclusive aquele que após tudo isso, recebeu uma proposta para trabalhar num hotel muito suspeito.

É como a história de dizer que a ida do homem a lua é uma fraude. Apresentaram vários "fatos" para provar isso. Houve vários argumentos derrubando esses "fatos", mas dia desses li o principal deles: A União Soviética (na época), estava em uma corrida espacial com os Estados Unidos, monitorando fortemente tudo o que ocorria e conseguia interceptar e identificar a origem de toda a comunicação.
Se a ida a lua, transmitida ao vivo, fosse uma farsa, a União Soviética seria a primeira a gritar.

Se algum meio de comunicação publicar uma matéria falsa ou mentirosa, cabe um processo dos bons. Isso é completamente cabível, e não, não configura censura.

por: Conrado Tramontini
Postar um comentário