4 de agosto de 2013

O motorista e o monstro.

A capa da Veja de hoje compôs a imagem um revolver usando imagens de carros e essa é a analogia mais exata.

O carro é como um míssil de impacto. Ele não explode, mas lança sobre você meia tonelada de material perfuro-cortante, recheada de combustível que pode transformar uma pessoa em uma massa de carne e ossos.

Tenso demais né? Mais é verdade, dependendo de quem está ao volante.

Normalmente o carro é apenas um veículo, que facilita a locomoção sua e de sua família ao mercado, a uma praça ou parque, a uma festa ou a visita aos seus avós de forma confortável e prática.

O problema é que alguns imbecis enxergam o carro como uma compensação ao pênis (psicologicamente falando). Um exosqueleto que lhe confere potêncial, velocidade, poder e - aos olhos do imbecil - o torna atraente.

É aí que está o problema. Esse rapaz com problemas psicológicos consegue facilmente uma carta de motorista, através de "n" formas e então saí pela rua se exibindo garboso e poderoso, competindo com outros condutores e pelo caminho pode encontrar público ou até um oponente e aí o veículo, que se move livremente e não em trilhos, fica completamente a mercê da imbecilidade humana e pode se projetar sobre outro veículo ou pessoas e BUM! Não sobre muito para contar história.

Facebook: 7 de janeiro de 2012 às 11:21 ·

"Bala de revólver = 5g X 500km/h = 2.500 (Momentum)
Carro = 500.000g X 120km/h = 60.000.000 (Momentum)

Por quê mesmo com a campanha do desarmamento ainda tem tanto imbecil dirigindo um carro?"
Assim como muitos problemas em nossa sociedade atual, o problema se sustenta sobre os mesmos pilares:
1) Corrupção pelam venda de carta de motorista;
2) Impunidade;
3) Má gestão dos orgãos envolvidos;
4) Você que compra carta, que dirige de forma imprudente; que bebe e depois dirige.



 por: Conrado Tramontini
Postar um comentário