7 de outubro de 2012

Ilmo. Sr. ex-presidente Lula, não generalize.

Ilmo. Sr. Ex-presidente Lula,

Confesso que votei no Sr. naquela eleição onde iniciou o seu mandato. Lembro de, pela primeira vez, ter feito algum tipo de campanha, mesmo que mínima, porém hoje fico muito feliz que a palavra "ex" preceda a palavra presidente, quando se trata do seu mandato.

Confesso também  que fiz campanha contra a sua sucessora, a Ilma. Sra. presidente Dilma. Mas fico feliz que no caso dela, o prefixo "ex" ainda não esteja presente. Os adversários e os eleitores contrários a ela, mencionavam que ela era completamente despreparada para o cargo, porém hoje vejo uma mulher de pulso firme, fibra, capacidade e principalmente, de ação.

Eu ficava abismado quando questionavam o Sr. sobre algo de errado que acontecia, o tal Mensalão por exemplo, e o Sr. simplesmente respondia:

-Não sei de nada...

Eu fazia uma analogia aos meus colegas de trabalho:

-Imaginem que eu estou cometendo algo ilícito aqui no escritório e o meu gerente diz que não sabe de nada... Ele é o primeiro a ser demitido!

Hoje, vejo um evento parecido acontecendo e ao invés de afirmar, a Sra. presidente indaga:

-Por quê eu não estou sabendo de nada?

Veja, não é problema não saber, o problema é aceitar a ignorância dos fatos como uma posição a ser mantida e nela permanecer. É alguém dizer que estão roubando de baixo de suas barbas, e você não apurar. Pois, foi o que o Sr. fez e a Sra. Dilma, sabe-se lá por que motivo obscuro - pois ainda é algo novo para o Brasil - ela resolveu agir assim, mas finalmente alguém fez.

Por fim Sr. ex-presidente, esse texto foi motivado pois hoje o Sr. respondeu uma pergunta que eu me fazia. Eu me perguntava por quê o Sr. não apurava esses fatos ilícitos. Por quê simplesmente os ignorava - claro que no fundo eu sabia que tinha interesse político, mas por quê não o fazia mesmo que fora dos holofotes.

A resposta é por quê o Sr. ao contrário de muitos brasileiros competentes, responsáveis e ativos, está mais preocupado com "a queda do Palmeiras" do que em fazer o que deveria ter feito.

E eu te digo. Nunca mais generalize dizendo que o eleitor não está preocupado com o Mensalão. Se o Sr. não tem dignidade, honestidade, honra e interesse cívico e político - o que, de acordo com a origem na palavra no grego quer dizer, pensar pela sociedade - se o Sr. é um idiota - novamente de acordo com o grego é o contrário de político - eu não sou.

Eu sim, estou sim, interessado e muito que essa história de Mensalão seja apurada e impedida de que venha a se repetir.

E não me importo muito com o Palmeiras ...

por: Conrado Tramontini
Postar um comentário