1 de abril de 2009

Se o homem pudesse colocar arco-íris em zoológico, ele o faria.

A frase no título é do Calvin e Haroldo. Eu a escolhi para falar sobre a famigerada temporada de caça às focas, que teve início no Canadá.
Logo explico, não sou vegetariano. Como carne. Acredito que faz parte da nossa alimentação assim como a zebra para o leão, ou a foca para o tubarão, mas isso não justifica crueldade. Se dependesse de mim, o abate seria diferente, mas a coisa com as focas não são nem para a alimentação, é para o luxo.

Abaixo, segue um texto que escrevi sobre o assunto, na temporada de 2006:

Quem se importa com algumas focas?

Ora, está aberta a temporada de caça as focas no Canadá. E daí? Grande coisa. Tem focas aos montes no Canadá. Quem se importa com uns bebês bonitinhos, inocentes e indefesos? A população de foca está crescendo mesmo, e esses bichos vem atormentando alguns canadenses.

Segundo reportagem da Reuters, "o os caçadores alegam que a caça alimenta a economia local com a venda das peles e ajuda a manter a população de focas sob controle".

Então, se não comprarmos peles, não há interesse em matar essa focas. Compreende?

A propósito a população humana vem crescendo também e esses bichos também tem incomodado os canadenses. Não só os canadenses como também o resto da humanidade e os outros animais. Portanto, acho que devemos seguir o exemplo dado por nós mesmos. Talvez colocar em cada maternidade (sugiro começar pelo Canadá) um homem com um bastão de pau, tacape, machado ou até mesmo um leão marinho, um leão, um tigre, um urso, ou qualquer outra coisa. E assim que a criança atravessar a vagina da mãe *PAF* toma uma paulada ou tem a cabeça arrancada pelo animal faminto. Não entendo porque tanta guerra contra o Terror, porque tanta indignação com a história do bebê jogado no rio. Será que ela se deve ao fato de não terem retirado a pele do bebê?

Afinal ... estamos mantendo a população de homens sobre controle.


Quem derá fosse piada de primeiro de abril.

Por: Conrado Tramontini
Postar um comentário