16 de setembro de 2007

O PIQUENIQUE DAS TARTARUGAS

Estava lembrando de um texto que li quando ainda cursava o primário (ou primeiro grau). Não lembro bem, mas acho que sem sacanagem a professora se chamava Elza mesmo. Elza ou Izilda algo assim ...

Lembrei do texto porque estava pensando no fato de as pessoas em alguns momentos darem condições para que as outras errem, como se num ato involuntário de realmente flagar o erro.

Foi uma surpresa achar esse texto na net - achei que não existiria mais - e com uma conclusão que concorda com essa linha de raciocínio.

O PIQUENIQUE DAS TARTARUGAS

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram sete anos para prepararem-se para seu passeio.

Finalmente a família de tartarugas saiu de casa para procurar um lugar apropriado. Durante o segundo ano da viagem encontraram um lugar ideal!

Por aproximadamente seis meses limparam a área, desembalaram a cesta de piquenique e terminaram os arranjos.

Então descobriram que tinham esquecido o sal.

Um piquenique sem sal seria um desastre, todas concordaram. Após uma longa discussão, a tartaruga mais nova foi escolhida para voltar em casa e pegar o sal, pois era a mais rápida das tartarugas.

A pequena tartaruga lamentou, chorou, e esperneou. Concordou em ir mas com uma condição: que ninguém comeria até que ela retornasse. A família consentiu e a pequena tartaruga saiu.

Três anos se passaram e a pequena tartaruga não tinha retornado.

Cinco anos... Seis anos... Então, no sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha não agüentava mais conter sua fome. Anunciou que ia comer e começou a desembalar um sanduíche.

Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:
-Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.


Essa é a moral-da-história apresentada nos sites:

Descontando os exageros da estória, na nossa vida as coisas acontecem mais ou menos da mesma forma. Nós desperdiçamos nosso tempo esperando que as pessoas vivam à altura de nossas expectativas.

Ficamos tão preocupados com o que os outros estão fazendo que deixamos de fazer nossas próprias coisas.

Como disse Mário Quintana: “O pior de nossos problemas é que ninguém tem nada com isso”. (Texto extraído da Revista Crescimento Pessoal e Motivação )

"O sucesso parece estar ligado à ação. Pessoas bem-sucedidas mantêm-se ativas. Elas cometem erros, mas nunca desistem".
Postar um comentário