13 de abril de 2007

300 (o filme)

Finalmente assisti ao esperado 300!
Algumas pessoas não gostaram, acharam que faltou enredo, outras acharam que a história não é exata, outros não gostaram do Xerxes, outros do Santoro ... Eu adorei. Gostei muito de tudo e assistiria outras 300 vezes.

A história realmente não pretende ser exata. É baseado na HQ 300, de Frank Miller, e não no documento Histórias, de Heródoto. A trilha sonoro é espetacular (já ouvi 300 vezes), a fotografia também arrebenta e ação, bem, ação tem para dar e vender.

Quanto ao Rodrigo Santoro, para mim ele atuou muito bem. A voz alterada é apenas um efeito e Suas expressões são excelentes. A Veja, como sempre péssima para críticas, disse que o figurino dele está péssimo. Se o crítico tivesse se dado ao trabalho de folhear o 300 veria que está igual a HQ.



Para compensar aquele monte de homem, temos a rainha Gorgo e o oráculo de Delfos.

Mas, a minha preferência é o senso de humor dos espartanos, que foi relatado, documentado e historiado por todos os cantos (não somente no filme). Um diálogo excelente do filme é reproduzido abaixo:

[Os espartanos se protegem com os escudos enquanto uma saraivada de flechas Persas bloqueiam o Sol. Repentinamente, Astinos começa a gargalhar]
Stelios: Por que diabos você está rindo?
Astinos: Você tinha que dizer aquilo! "Lutaremos à sombra!"
[Outros espartanos caem na risada]
Postar um comentário