8 de março de 2007

Mulheres.

Vou relatar um fato histórico que sem dúvida reforça o importante papel que as mulheres têm em nossa sociedade. Dificilmente vou conseguir passar a nobreza e a beleza que constituem a narrativa original, mas fico contente em ao menos citá-la.

Em 480 a.C. a Pérsia, naquele momento um gigantesco império, sobre o comando do Rei Xerxes estava em guerra com a dividida Grécia. Um força persa monumental (os historiadores citam 2 milhões de homens) marcharam em direção a Grécia, fazendo no caminho novos aliados, entre eles muitos povos também gregos.

Para não me estender muito, algumas poucas nações da região conhecida como Helesponto, Ática e Lacedemonia, se uniram para iniciar a defesa de suas cidades-estado, se recusando a se entregar e se render. A cabeça dessa liga era Esparta, que enviou 300 homens, de sua melhor tropa, incluindo seu Rei para montar a defesa do desfiladeiro das Termópilas. Esses homens estavão cientes da sua morte e de que era uma batalha suicída. Apenas segurar o ataque.

Cheguei aonde queria. No livro Portões de Fogo, o autor reconta dois fatos que demonstram quem são as mulheres de esparta:

No primeiro momento a rainha Gorgo, ao invés de chorar e pedir que seu marido, o Rei Leônidas, fique, ela ordena a ele que "volte com o escudo, ou sobre ele", fazendo alusão ao cerimonial de morte, onde o guerreiro retorna para casa em seu leito coberto pelo seu escudo.

Em outro momento uma mulher, esposa de um grande guerreiro e mãe de um jovem soldado é informado que os dois homens de sua vida foram escolhidos para lutar nas Termópilas. Nesse momento ela vai até o Rei e a Rainha, para saber porque logo ela foi eleita para tanto sofrimento.

O Rei explica que as mulheres de esparta são mães e esposas de guerreiro e que elas, e não eles, são responsáveis por toda a vitória, pois mesmo perdendo seus homens em batalhas, elas estão sempre de pé e cuidando da cidade e a preparando para uma nova batalha. Se as outras mulheres da Grécia as vissem desamparadas sofrendo por perdas, certamente fugiriam daquela guerra por seu país, mas naquele momento, elas veram as mais fortes mulheres de esparta determinadas como sempre foram, mesmo tendo seus homens mortos nas Termópilas, cuidando de suas famílias, mantendo a cidade para a próxima Guerra com toda a beleza e nobreza que elas possuem.
Postar um comentário