4 de fevereiro de 2007

Pichar já foi algo decente!

Existe um estudo feito sobre textos, em latim, escritos em carvão nas paredes de Pompéia, cidade destruída pelo vulcão Vesúvio. Segundo o estudo, existem cerca de 15000 inscrições parietais recolhidas de Pompéia. Os graffiti são bastante numerosos e diversificados, pelo hábito dos seus habitantes de todas as faixas etárias de rabiscarem as paredes com carvão.

O texto cita também que os habitantes locais zombavam do próprio hábito de rabiscarem as paredes numa linguagem bastante literária, conforme atesta o trecho abaixo:

Admiror, paries, te non cecidisse ruinis, qui tot scriptorum taedia sustineas
(Admira-me, parede, não teres caído em ruínas, tu que agüenta o tédio de tantos escritores).

(CIL, IV, 1904)

Ah! como seria bom se os pichos de hoje tivessem tanta qualidade :)
Uma outra frase que gosto, e mandei a primeira parte para um bocado de gente, que gostou também, é a seguinte:

Quisquis ama, valia, Peria qui nosci amare! Bis tanti peria quisquis Amare vota.
(Viva todo aquele que ama, pereça quem não sabe amar! Duas vezes pereça com tanta intensidade todo aquele que proíbe o ato de amar)

CIL,IV, 1173)
Postar um comentário