14 de janeiro de 2007

300 (atualizado: trailers)

Uou! Minha viagem noturna atrás de algo interessante foi um sucesso. Vou contar a coisa desde o começo ... (se você for preguiçoso pule para o final)

Tudo teve inicio com Dario I, soberano do império persa e um grande conquistador. Ele foi o responsável pela primeira tentativa de domínio da Grécia. Foi derrotado na chamada Batalha de Maratona, por uma tropa de soldados de Atenas. Dario e os seus retornaram, humilhados.
Antes de falecer, Dario determinou que o herdeiro de seu trono e novo soberano seria seu filho caçula Xerxesque dedicou-se a conquistar a Grécia.
No ano de 481 a.C, o mundo teve a oportunidade de assistir à reunião do maior exército já organizado em todos os tempos, até então. Historiadores modernos afirmam que seriam em torno de 200 mil até 300 mil homens.
Quando entravam em marcha, nada parecia poder detê-los. Em todo o caminho, as cidades curvavam-se ante a supremacia do rei persa. Atenas, Egina, Eubéia e Esparta decidiram formar uma frente de resistência. A estratégia escolhida foi cobrir a Grécia Central. Para isso, prepararam uma linha de resistência nas Termópilas. O estreito desfiladeiro, localizado entre uma montanha e o mar, era um ponto estratégico.
Xerxes acampou com seu séqüito por cerca de quatro dias. No quinto dia, Xerxes ordenou o ataque. Seus homens foram sucessivamente repelidos pelos bravos inimigos. Nem mesmo os Imortais, a tropa de elite de Xerxes, obtiveram sucesso.
Foi então que um nativo, de nome Ephialtes, entregou uma passagem secreta que possibilitava cercar os inimigos. Durante a noite, as posições foram ocupadas. Quando ficaram sabendo do ocorrido, os aliados dos espartanos decidiram partir. Mas estes, não. Fugir era intolerável, render-se, inadmissível. Antes morrer na glória da batalha, do que ser considerado covarde e desertor. Chegou, então, o terceiro dia.
O rei sabia que era sua hora, Ele e os seus lutaram primeiro com lanças, depois com espadas e, por fim, com os próprios punhos, até o final. Deixaram a vida, entraram para a história e se tornaram uma lenda heróica. Xerxes ficou impressionado e teve sua confiança seriamente abalada pela determinação daqueles guerreiros.

(Texto extraído de: http://www.universohq.com/quadrinhos/300_esparta.cfm)

Eu não sabia que Frank Miller (Sin City) já havia publicado uma HQ, com o título de 300, justamente sobre esse episódio. E que agora ele estava virando filme. As imagens são belíssimas e como você pode conferir acima, a história é excelente.

Curiosidade: Rodrigo Santoro interpreta Xerxes.

Eu já havia comentado sobre esse episódio aqui anteriormente, e sobre como impressiona a ferocidade da batalha e dos diálogos, alguns exemplos:

Plutarco (nos seus Apótegmas dos Espartanos) atribui a Leónidas uma célebre afirmação, em resposta a um soldado que dissera que as flechas dos Medos eram tantas que tapavam o Sol:
"Melhor, combateremos à sombra"
(Heródoto, porém, reporta esta afirmação a um tal Dieneces, tido como um dos mais bravos soldados de Esparta presentes neste prélio)

A cena abaixo, retirada do trailer, representa os Medos lançando suas flechas.
Outra citação famosa é a que ilustra o poster acima, quando o rei Leonidas diz a seus soldados:
Essa noite, jantaremos no inferno.

E quando esposa de Leônidas pede que o marido volte
"com o escudo, ou sob o escudo".
Ou seja, volte vitorioso, ou morto.

Mais:

Wikipwdia
UniversoHQ
Trailer1
Trailer2
Postar um comentário