16 de dezembro de 2006

De volta ao Cassino Royale.


Acabo de ler mais uma crítica excelente sobre o filme.
A crítica (link) por si só já anima, quase posso dizer que vale o ingresso. Vou reproduzir aqui alguns dos pontos que me chamaram mais a atenção:

James Bond volta a suas raízes em 007 - Cassino Royale, no papel do assassino sociopata, determinado e incorrigível do Serviço Secreto de Vossa Majestade criado por Ian Fleming.

É um alívio que a trama fuja do abuso dos acessórios cada vez mais tecnológicos e privilegie a intriga e o suspense, trazendo personagens cheios de nuances e mulheres que acham que o órgão mais sexy do corpo é o cérebro.

Já fazia um bom tempo que um filme de James Bond não era baseado num romance de Fleming.

Cassino Royale começa com Bond passando de 'aspirante a assassino' a 'assassino de verdade' (...) tudo isso para moldar seu caráter sangue-frio para sempre.

Ele é tão novato que diz ao barman que tanto faz como seu martíni seja feito.
Postar um comentário